quarta-feira, 15 de agosto de 2007

O Mar na Cozinha Brasileira

Estive ontem no Gula & Design Boa Mesa Gourmet, dentre degustações aulas abertas e muitos papos de corredor, que tratarei depois pois hoje quero falar das idéias do chef Edinho Engel.
Segundo o chef, o avanço da cozinha nacional para a gastronomia nacional de mar está ligado a valoração dos nossos ingredientes, muitos deles herdados do nosso passado indígena e seus costumes primitivos da costa, agregados as nossas posteriores referências imigradas de vários lugares do mundo.
Cabe aos chefs, cozinheiros e curiosos pesquisar estes “fabulosos” ingredientes de forma nova. Usar, se aprofundar e ArRisCaR!!!!!
Durante a aula, o chef preparou Carapau, Sardinha e Garoupa. Peixes menos “prediletos” que resultaram divinos combinados e temperados com ingredientes nacionalíssimos como maxixe, feijão fradinho, coentro, limão cravo e tangerina carioquinha.
Eu, mera curiosa nesses assuntos de cozinha, e você se também for, podemos dar o primeiro passo elegendo um ingrediente que gostamos.
Por exemplo: o camarão. Sabemos “de que” camarão estamos falando?
Camarão da beira do mar ? branco, sete barbas? ou rosa ? criado em cativeiro ou selvagem, do sul ou do norte?
Com os devidos parâmetros, nossas escolhas tornam-se mais assertivas e contribuímos pra que cada vez mais tenhamos fornecedores preparados que disponibilizem produtos frescos e específicos com relação as espécies, a origem e a forma de conservação do produto.
Algumas dicas anotadas:
Se for comprar camarão congelado, prefira-o inteiro. Com casca e cabeça no seu devido lugar! Quanto mais tortinho, no formato do camarão mesmo, melhor pois maior a chance de ter sido congelado bem fresco.
Já o polvo, pode procurar pelo congelado mesmo. Sua fibrosidade melhora quando limpo depois do descongelamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário